Aniquilação de Jeff Vandermeer #103 | Resenha

Não sou de ler livros de ficção científica. Que me lembre do gênero eu só li Frankenstein (que é considerada a primeira obra de ficção científica da história) e metade de outro que nem vale a pena mencionar. Mas acabei chegando nesse livro pelo filme da Netflix com esse mesmo nome “Aniquilação” de 2018.

Coisa rara também é eu parar para assistir um filme ou série. Mas me lembro bem de depois de toda estranheza desse filme e o típico final aberto que me faz pensar todas as vezes “foi para isso que eu perdi duas horas da minha vida?”, que pesquisei no Google rapidamente se era uma adaptação ou algo do tipo. Era uma trilogia chamada Comando Sul. Eu então printei aquela informação na minha mente por quase dois anos até finalmente ler o primeiro volume.

Filme, 2018

E assim, eu não gostei do livro, por isso vou direto ao ponto: Livro e filme são bem diferentes, e entre os dois, eu fico com o filme. O filme ainda te deixa com uma pulga atrás da orelha. O livro parte do nada e não te leva há lugar nenhum. É um livro vazio.

São quatro personagens principais, todas mulheres, sendo uma delas a narradora – não gostei de nenhuma. A narrativa é fluída em alguns momentos, e o autor conseguiu algumas frases e insights legais, mas a maior parte do tempo é confusa quase cansativa – e vazia, muito vazia. Mas a cereja estragada do bolo da narrativa no final das contas, isso é no decorrer do livro e principalmente (FIQUE TRANQUILO SEM SPOILERS) chegando as últimas páginas é que é inverossímil (encontrei alguns furos nessa escolha que o autor fez para contar a história).

Vale dizer que o autor tenta alguma beleza na escrita com toda a descrição da natureza etc., toda a construção psicológica da narradora, mas é justamente isso que eu estou querendo dizer com vazia, pois nada me tocou.

Um dos caminhos que tentei para entender (filme e livro) é a causa ambiental obvia, mas não chega a ser um livro declaradamente ideológico ou planfetariamente ideológico. A causa ambiental só está lá dentro em todo canto, toda a natureza com a sua complexidade e grandiosidade está dentro do livro, porém não se encontra seu Criador. E talvez, só talvez seja por isso que é um livro tão vazio. Tudo o que foi invocado, tudo que foi descrito, desde pequenos fungos ao imenso mar, a vida e a morte, o desejo pela eternidade… por um Lugar… exigem uma Presença e tudo o que se tem no livro é uma profunda ausência. É isso!

Se eu vou ler os outros livros da trilogia? Acho que sim, e se fizer volto aqui para continuar comentando.


+INFO Livro: Aniquilação #1 | Série: Comando Sul | Autor: Jeff VanderMeer (1968- ) | Tradução: Bráulio Tavares | Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014 | 200 páginas

Nota: ★★

Encontre aqui: Amazon, Estante Virtual

4 comentários sobre “Aniquilação de Jeff Vandermeer #103 | Resenha

  1. Pela primeira vez optei por ouvir o postal em vez de apenas ler… uma experiência nova
    Também não leio muita ficção científica, mas já li alguns, não Frankeinstein, mas li vários H G Wells e claro a trilogia do fim do homem de Margaret Atwood onde a temática do ambiente é central, pelo que deve haver algum contacto entre os dois escritores.
    Como geólogo e com décadas a trabalhar em ambiente é uma temática que me toca muito, a trilogia que li que começa com Oryx and Crake deu-me voltas ao estômago, o segundo passado no “fim” da humanidade O ano do Dilúvio, com a religião ambientalista a dominar a sociedade deixou-me confuso e o último também gostei muito de como o “novo” homem é instruído na nova religião MaddAddam. A obra é chocante, mas faz parte das que mais me tocaram até hoje e tem o pormenor de tudo o que é criatividade científica já quase poder existir hoje, até porque se passa num futuro muito recente.
    Fiquei curioso que essa trilogia… e irei anotar, seguramente teremos perspetivas diferente sobre a mesma

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá Carlos!
      Estou buscando a cada dia incorporar o formato de áudio nas minhas postagens. Eu amo escrever, mas reconheço a necessidade de tornar o conteúdo acessível.
      Faz pouco tempo que comprei A Máquina do Tempo do H G Wells. E acredite, depois desse seu comentário fiquei curiosa com essa trilogia da Margaret Atwood. Há um tempo atrás vi todo mundo falando dela, mas é a primeira vez que me chama atenção de verdade.
      Ahh eu entendo que realmente pela sua profissão talvez você veja algo que eu não vi nesse livro. Vou gostar muito de saber sua opinião sobre ele.
      Abs!

      Curtir

  2. Pô, se um livro leva a pessoa a dizer: 1. O livro parte do nada e não te leva há lugar nenhum; e
    2. O livro ser uma completa ausência.
    É realmente intrigante. Por mais curioso que esteja, acho que vou passar essa e ler mesmo Dante…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Olá! Então, gosto de leitura é uma coisa que costuma ser muito pessoal. Eu já detestei livros que as pessoas amaram e já amei livros que as pessoas odiaram. A coisa é complicada kkkk

      O que posso te dizer sobre essa trilogia, é que mesmo não gostando desse primeiro volume insisti e acabei gostando muito do segundo volume e, que iniciei a leitura do terceiro ontem. Se você tiver mesmo curiosidade, acho que vale a pena talvez passar um pouco de raiva no primeiro ou talvez amar, vai que acontece.

      Obrigada pelo comentário!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta para cefaria Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s